POR QUE OCORREM ACIDENTES COM BARRAGENS?
Buscar
  • Ideal Consultoria

POR QUE OCORREM ACIDENTES COM BARRAGENS?


fonte: https://www.metropoles.com

As edificações de contenção, como açude, represa ou barragens de usinas foram, desde o início da civilização, fundamentais ao desenvolvimento da espécie humana. São barreiras artificiais de longa vida, desenvolvidas em cursos d’água para a retenção de grandes quantidades desse recurso natural ou para o armazenamento. O intuito por trás da utilização é, sobretudo, para o abastecimento de zonas residenciais, agrícolas, industriais, produção de energia elétrica, hidráulica e outras funcionalidades, como o despejo de rejeitos. Para o seu desenvolvimento, são necessários projetos bem realizados e execuções periódicas para garantir segurança e preservação.

Fatores relacionados a acidentes

Mesmo com o avanço da tecnologia, a invenção do piezômetro, práticas de instrumentação de barragens, modificações e adaptações, muitos acidentes ainda ocorrem em todo o mundo. Os fatores relacionados, geralmente, são:

  • Transbordamento.

  • Ruptura hidráulica.

  • Escorregamentos.

  • Vazamentos de galerias.

  • Problemas de drenagem.

  • Liquefação do material.

  • Acúmulo de lama onde deveria ter rejeito arenoso.

  • Enchentes.

  • Erosões internas (“piping”).

  • Galgamento (“overtopping”).

  • Liquidificação.

  • Fenômenos naturais, como terremotos ou tempestades.

  • Falha na fundação.

Fatores que ocasionaram a diminuição dos acidentes

Atualmente, ocorrem muitos acidentes voltados a barragens. No entanto, com relação a dados antigos, esse número diminuiu em torno de dez vezes, não apenas devido à instrumentação, mas também pela crescente preocupação com as condições de segurança e o desenvolvimento de novas áreas na Engenharia Civil, como mecânica dos solos e das rochas, cálculo estrutural, hidráulica, geologia para engenharia e outros que geraram um resultado impactante.

BARRAGEM DE REJEITOS

São estruturas construídas com o objetivo de armazenar resíduos provenientes do minério de ferro, resultante do processo de beneficiamento, que é a separação do material rico, com valor econômico, do rejeito, que é o material descartado visto a ausência de demanda no mercado.

TIPOS DE BARRAGENS

  • Montante

Considerado o método mais barato, sua elevação se dá por meio de degraus feitos com o próprio rejeito sobreposto ao dique inicial.


fonte:https://g1.globo.com
  • Jusante

A barragem tem seu crescimento sobre si mesma, na direção da corrente dos resíduos, proporcionando uma melhor estabilidade na estrutura.


fonte:https://g1.globo.com

  • Linha de Centro

Degraus feitos exatamente uns sobre os outros, o que confere a simetria. É considerado um método intermediário.


fonte:https://g1.globo.com

PROBLEMAS COMUNS EM BARRAGENS

Atualmente, os problemas mais comuns referem-se ao curto prazo de execução, acarretando na ausência de tempo suficiente para a realização de investigações geológicas e geotécnicas mais apuradas e necessárias ou um amadurecimento adequado do projeto, para proporcionar soluções mais racionais e econômicas.

Problemas geológicos não previstos são muitas vezes encontrados após as escavações, e nem sempre os tratamentos de fundação são adequadamente executados. Planos de instrumentação deficientes não têm permitido uma boa supervisão do comportamento da barragem e de suas fundações durante o enchimento do reservatório e a sua operação.

PROBLEMAS QUE PERMITEM REPAROS

Apesar dos elevados custos, na maioria dos casos não previsto durante a fase de projeto, problemas relacionados de ordem geológica são passíveis de reparos posteriormente. Alguns, com graus mais elevados, não possuem soluções. Podemos citar o Brasil, em que uma barragem de concreto que não houve uma investigação apurada em sua fundação, possuía alguns blocos assentados sobre rochas alteradas e deformáveis, tendo como única solução a substituição da rocha por concreto com a barragem já finalizada, o que gerou um custo mais expressivo.

PRECAUÇÕES PARA QUE NÃO OCORRA NENHUM ACIDENTE

Caso houvessem projetos bem realizados e detalhados, efetuados por empresas experientes e operados por uma equipe bem treinada para atuar em situações emergenciais, além de uma instrumentação adequadamente analisada, acidentes com barragens poderiam ser evitados ou reduzidos ao mínimo de riscos. Prezando todos esses quesitos, tem-se uma barragem segura durante toda a sua vida útil, que gira em torno de 50 anos. Um destaque muito relevante nesse aspecto são as barragens construídas durante o império romano há cerca de 2000 anos e que estão operando até os dias atuais. É evidente que houveram reformas ao longo do tempo, mas servem para atestar que aquelas bem mantidas podem ter sua duração prolongada ao longo de séculos.

PREVENÇÃO É O MELHOR NEGÓCIO

A prevenção sempre será a melhor oportunidade a se recorrer. Para isso, deve-se levar em consideração, ainda na fase de projetos, um bom planejamento envolvendo desde a implantação da barragem, analisando o local a ser construída, tendo em vista a avaliação dos riscos de maneira detalhada, relatórios de estabilidade, modelagem computacional até o levantamento da população do entorno (e jusante), além de legislações, controle e fiscalização constante.

Além dos riscos ambientais e do custo que a empresa irá arcar com o rompimento de sua barragem, há ainda o risco com vidas humanas, este quase impossível de ser revertido.

autor: Augusto Godoy

0 visualização
  • Branca Ícone LinkedIn
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

Siga-nos!