Buscar
  • Ideal Consultoria Júnior

UTILIZAÇÃO DE CAIXA DE GORDURA: SAIBA MAIS



As caixas de gordura são dispositivos componentes do sistema predial de esgoto sanitário que têm por objetivo reter as gorduras provenientes dos despejos de pias de cozinha, máquinas de lavar louça e áreas de churrasqueiras. A retenção destes compostos gordurosos na fonte é de grande importância porque eles provocam entupimentos em tubulações da rede de coleta e comprometem a eficiência dos processos de tratamento biológico que ocorrem nas ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto).


Em consequência desses problemas, muitos municípios incluem em Código de Obras, a pedido das concessionárias de saneamento, a obrigatoriedade da instalação de caixas de gordura nos domicílios, e em locais de manipulação e preparo de alimentos (restaurantes, supermercados, entre outros). E, curiosamente, o emprego de caixas de gordura não é obrigatório pela norma NBR – 8160 (Sistemas Prediais de Esgoto: projeto e execução), que apenas recomenda o seu emprego, deixando a critério do projetista, quando não houver exigência da autoridade local.


A eficiência de uma caixa de gordura está intimamente ligada às suas dimensões, às suas condições de funcionamento e principalmente à frequência de limpeza. Isso porque é fácil entender que, com o passar do tempo, quanto mais gordura estiver acumulada na caixa, menor será a quantidade de gordura que ela poderá reter.


Por isso, é importante que pelo menos uma vez por mês ela seja inspecionada e limpa para que ela continue a funcionar de forma eficiente. Então, não espere que ela transborde e avise-o dessa necessidade, certamente ela já estava funcionando com uma eficiência muito baixa há um bom tempo.



Quanto às suas dimensões, de acordo com a NBR 8160, as caixas de gordura são dimensionadas de forma simples, com base no número de cozinhas contribuintes devendo ter capacidade de retenção de 18 L para 1 cozinha; 31 L para até 2 cozinhas; de 120 L para um número de 3 até 12 cozinhas; e acima deste valor deve-se determinar o número pessoas servidas pelas cozinhas no turno de maior fluxo. As caixas de gorduras podem ser do tipo pré-fabricadas, disponíveis no mercado em concreto ou materiais plásticos (PVC ou Polietileno), ou moldadas in loco, em alvenaria simples de tijolo maciço revestida por argamassa.


Finalmente, as caixas de gordura protagonizam um erro comum de projeto em edifícios de apartamentos. De acordo com a norma NBR - 8160, os efluentes de cozinhas ou áreas de churrasqueiras de vários pavimentos sobrepostos (prumada) devem ser despejados em um tubo de queda exclusivo que conduzam os esgotos para uma caixa de gordura, sendo VEDADA a utilização caixas de gorduras INDIVIDUAIS nos andares (em cada apartamento). Isso faz com que o usuário tenha que conviver com odores desagradáveis que são gerados na caixa e seja responsável por proceder a limpeza da mesma, podendo ter desagraveis surpresas se não fizer a limpeza no tempo adequado.


Por Prof. Jackson de Oliveira Pereira.

244 visualizações

Siga-nos!

  • Branca Ícone LinkedIn
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon